Mariana

Outro dos projectos que tinha há muito tempo era a publicação das obras da Maria Judite de Carvalho. Uma escritora que esteve sempre um pouco na margem das grandes correntes e dos grandes nomes da nossa literatura mas cuja obra merece ser de novo trazida à ribalta. Este é o primeiro volume que, espero, possa vir cumprir um pouco essedesígnio.
Para quem não conhece, a escrita de MJC bebe um pouco do "nouveau roman" mas é sobretudo na poesia contida, na imagem e na atmosfera claustrofóbicas de um mundo vazio cheio de solidão que está o segredo de um estilo ímpar.
Espero que gostem.

5 comentários:

Anónimo disse...

Pena os dois erros grosseiros [distracção, negligência?] na capa de um belo livro, que desrespeitam a autora, desconsideram o leitor e não prestigiam a edição [«... marca de prestígio histórico que foi a Ulisseia ...», pois.]

Hugo Xavier disse...

Caro Anónimo [porque será?], agradeço a informaçãp: podeerá indicar-mos para que segundas edições - estou certo que reconhecendo o valor da obra a comprará - possam estar livres de tais erros?
Grato.

[Há sempre gente muito pequenina neste país, mais preocupada com algumas coisas que outras...]

Anónimo disse...

Erro 1 - O título da obra [Publicações Europa-América, 1988] é Tanta Gente, Mariana.
“Tanta Gente Mariana”, conforme capa acima reproduzida, igual, de resto, à que figura no blogue da Babel, é outra coisa, do tipo “tanta gente canadiana”, “tanta gente ariana” ou “tanta gente flausina”.
Erro 2 - O nome da autora não é “Maria Judite Carvalho”, como aparece na sobredita reprodução, mas Maria Judite de Carvalho.

PS
Anónimo porque sim e, no que me respeita, confirmo: pequenino, português e mais preocupado com umas coisas do que com outras.
Desejo-lhe o maior sucesso nessa nova aventura editorial.

Hugo Xavier disse...

Caro Anónimo, deixa-me a respirar com mais tranquilidade. Com efeito verifico que ainda não viu fisicamente o livro. a capa não tem esses erros mas devido a um problema com o designer apenas temos esta capa em alta definição. assim poderá constatar no livro físico que lá figura o título da primeira edição da Arcádia (1955) «Tanta gente, Mariana» bem como o nome correcto da autora (separado por um "de").

Tenho contudo de avisar que há um erro numa das badanas. Espero poder corrigí-lo no futuro. Espero também que adquira este bem essencial que, felizmente, não está taxado a 23%.

Hugo Xavier disse...

Já agora uma nota apenas para informar que a data original de 1955 (indicada pela Porbase da Biblioteca Nacional está, obviamente, errada. A Edição original é de 1959

Publicar um comentário