Livros do Ano 2012 (IV)


1 - Um Império de Papel - Imagens do Colonialismo Português na Imprensa Periódica Ilustrada (1875-1940), de Leonor Pires Martins (Edições 70)

Um álbum interessantíssimo que traça num quase foto-jornalismo uma sociedade em transição. É sem dúvida um documento essencial da nossa história.

2 - Desenhar o vento - A última viagem do Capitão Salgari, de Ernesto Ferrero (Teodolito)

Para quem cresceu com Salgari (eu estive mais próximo do Jules Verne mas ainda assim), um romance biográfico sobre um homem que deu mais mundo aos homens.

3 - Portugueses no holocausto, de Esther Mucznik (Esfera dos Livros)

Outro documento importante cobrindo uma parte da história nossa que desconhecemos.

4 - Dentro do segredo, de José Luís Peixoto (Quetzal)

Magnífico livro de viagens.sobre um mundo que não se dá ao mundo.

5 - Uma Obra Enternecedora de Assombroso Génio, de Dave Eggers (Quetzal) 

Finalista do Pulitzer, o romance de Eggers é um assombroso estudo sobre os lugares e papéis sociais e familiares, sobre quando temos de assumir papéis que nunca imaginámos vir a ter de assumir, sobre o nosso papel na sociedade e na pequena sociedade que é a família. Daí a importância de um livro nos tempos que correm em que a nossa leviandade social é aterradora.

6 - 1089 e Tudo o Resto - Uma Viagem Pela Matemática, de David Acheson (Relógio d'Água)

De vez em quando gosto de me embrulhar num desafio destes, acho que faz muita falta à cabeça das gentes de letras. Obriga-nos a arrumar a casa aqui de cima e nós por natureza gostamos de um caos culto.

7 - A Palavra do Mudo, de Julio Ramon Ribeyro (Ahab)

Já tinha destacado em escolhas de anos anteriores. J. R. R. é um dos melhores contistas de todos os tempos, provavelmente ali no top 10. Grande livro, venha o segundo volume.

0 comentários:

Publicar um comentário