2012

Caros,
Mais do que qualquer outra coisa queria desejar a cada um, neste 2012 que espreita, a crise que cada qual merece. Desejar muito sériamente que a crise que não fizemos por merecer não nos bata à porta. Mas como também imagino que acabe por bater, desejar para todos vós saúde, comida, amigos e muita força.
Acho que 2012 vai ser um ano de limpeza, tudo o que estava podre vai acabar por cair e isso significa básicamente cair tudo, mas será também o ano em que vamos ver surgirem novas ideias, projectos, empresas e pela primeira vez em anos haverá uma real preocupação em reunir a competência aliciando-a a participar activamente nesses projectos.
A incompetência sufocante, aquela que abafa o real valor por insegurança e incultura, tem de desaparecer caso contrário desaparece o país, o continente.
Esta revolução, porque o é, passa por cada um. Tem que ver com o grau de exigência que colocamos em tudo o que fazemos. Não podemos desligar-nos e continuar a apontar responsabilidades a quem manda. Quem manda está no poder porque nós enquanto povo neles votamos e se não vemos entre eles alternativas viáveis, mudemos o sistema, ofereçamo-nos nós, recomendemos quem deveria...
A nossa responsabilidade é responsabilizarmos, a começar por nós próprios; é exigirmos, a começar por nós próprios; e é suar, a começar por nós próprios.
Mais do que meias-horas adicionais, férias a menos ou subsídios eliminados, a competência e a avaliação por mérito são a salvação do país.
Ficaria muito contente se isto acontecesse.
Que 2012 seja o ano de mudança porque nós a queremos e não por outro motivo qualquer.

0 comentários:

Publicar um comentário